domingo, 15 de novembro de 2009

Fermento




“Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda?”. Paulo I Cor. 5:6





Quem de nós já não viu alguém sovar um pão? Nossas mães, nossas avós, na televisão, ou até nós mês mesmos?
Uma receita bem básica de pão é para 1KG de farinha, 30g de fermento biológico, água ou leite, óleo e para enriquecer, ovos. E o que faz a massa crescer?  O fermento, o levedo, que nada mais é do que um fungo unicelular que usa o amido, o açúcar como alimento, se multiplica muito rápido e produz gás carbônico, que é o que vai fazer a massa do pão crescer. Por outro lado, sabemos que existem outros tipos de fungos que podem nos causar problemas físicos, doenças e outros que atacam as plantas.
Paulo usou o a comparação do fermento em sua carta aos Corintios, no tema de hoje que é: “Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda?” I Paulo Cor. 5:6
Paulo, antes Saulo de Tarso, era um judeu, doutor da lei, perseguia os Cristãos, até que a caminho da cidade de Damasco teve uma visão, e modificou sua vida. De perseguidor passou a ser divulgador do Cristianismo. Fundou igrejas em diversas cidades em uma época que era muito difícil a locomoção, Paulo escrevia Epístolas (cartas) com orientações. O tema dessa noite está na 1ª carta aos Corintios escreve aos integrantes da Igreja de Corinto. Corinto era uma cidade privilegiada na antiguidade, aberta a dois mares, com facilidades portuárias, tinha edifícios suntuosos, era uma cidade cosmopolita, considerada a cidade do prazer. Nesta carta, Paulo responde a dúvidas e condena abusos. Esse trecho começa com um relato de imoralidade, e Paulo orienta sobre o comportamento geral da seguinte forma no versículo 6: “Vosso orgulho não tem razão de ser, não sabeis que uma pitada de fermento, toda a massa fermenta? Extirpai o fermento velho para serdes massa nova, uma vez que sois ázimos” E no versículo 8 “Por conseguinte, celebremos a festa, não com fermento velho, fermento de maldade e perversidade, mas com ázimos de sinceridade e verdade”.
(Ázimos: pão sem fermento)
Marcos no capitulo 8 versículo 15 do seu Evangelho e Mateus no capitulo 16:6 do seu Evangelho relatam que Jesus instruiu para que se abstendessem do fermento dos Fariseus e Saduceus, pois eram carregados de hipocrisia; pregavam uma conduta e tinham outra, viviam de aparências. No Evangelho de Lucas, no capítulo 12 encontramos referência ao fermento ruim também: “Atenção com o fermento (ou seja, a hipocrisia) dos fariseus”.
É necessário que tiremos o fermento velho, eliminarmos do nosso interior todas as coisas que nos prejudicam e prejudicam aos que estão a nossa volta. Eliminarmos as mágoas, as preocupações recorrentes, os rancores, as negatividades e substituirmos por outras boas, por fermento novo.
Dizem que para cada pensamento negativo que temos, precisamos de cinco pensamentos positivos para neutraliza-lo. Mas temos certeza que um único pensamento ruim é capaz de nos estragar o dia inteiro!
Para conseguirmos mudar nossa vida, é necessário que comecemos a mudar nossos pensamentos. Não é fazendo as mesmas coisas do mesmo jeito que mudanças vão existir.
Quando vamos reformar nossa casa pensamos em tudo; avaliamos o estado geral, consultamos o nosso orçamento, ou seja, os nossos subsídios e determinamos quais os primeiros passos, nos abastecemos do material adequado e colocamos mãos a obra. Não adianta arrumarmos só o visual, a aparência, pintura, acabamentos...Antes precisamos verificar a estrutura, o encanamento, a fiação, aquelas coisas que nem sempre estão visíveis aos olhos dos outros, mas que são de fundamental importância para o resultado final.
Precisamos determinar prioridades, focar nelas e perseverar nessas decisões e principalmente não desanimar nas primeiras dificuldades. E quando aparecerem devemos saber contorna-las, adaptar nossas ferramentas a cada situação.
A mesma coisa é com o nosso físico, não adianta só colocarmos uma roupa bonita, caprichar na aparência, se nosso corpo não estiver sadio, se não nos alimentarmos direito, dormir o suficiente, o resultado transparecerá no final. Por mais bem vestidos que estivermos, não estaremos bonitos.
Quando nos deixamos influenciar por nossa carga negativa, nossas mágoas, os sentimentos negativos vão crescendo e se multiplicando dentro de nós e nós vamos espalhando e fermentando a nossa volta contaminando todo ambiente, que continuará nos envolvendo.
Todos nós estamos interligados, a cada atitude nossa, corresponde uma reação a nossa volta. Não temos a noção de como nossos atos, nossas palavras, nosso comportamento pode influenciar e fazer a diferença às pessoas que estão a nossa volta. Não temos a real importância de nossos atos. Hoje em dia já sabemos que nossos filhos aprendem muito mais pelos nossos exemplos do que pelo que os orientamos. Por isso precisamos vigiar nossas ações.
 Segundo a Teoria do Caos, um simples bater de asas de uma borboleta no Brasil poderia desencadear um tornado no Texas. É o chamado Efeito Borboleta, Podemos passar isso para o nosso dia a dia; um ato, uma palavra nossa pode mudar muita coisa a nossa volta. Ao sairmos pela manhã se formos cumprimentando as pessoas que formos encontrando pelo caminho, com um bom dia sincero e sorridente vamos espalhando o fermento bom a nossa volta e “levedando a massa” As pessoas são sociáveis por natureza, não vivemos sós e umas reagem às outras. Percebam o poder de um simples sorriso; quando chegamos em um guichê de atendimento mal humorados, carrancudos, a reação do atendente é uma. Agora experimentem dar um bom dia caloroso acompanhado de um sorriso, percebem como muda tudo?
Na segunda carta de Paulo aos corintios, no capitulo 5:17, afirma: “Se alguém é cristão é criatura nova. O que era antigo passou, chegou o novo”. Isto quer dizer que quando começamos a colocar o fermento bom dentro de nós, nos renovamos. E o que é esse fermento mágico que tem o poder de mudar nossa vida? É o Evangelho de Jesus, que vai nos orientar na nossa luta diária, que vai nos proporcionar as diretrizes que usaremos no nosso dia a dia. E principalmente que fará com que passemos a acreditar que, realmente, somos filhos de Deus e que Ele não nos desampara, nossos pensamentos passam a ser mais positivos, nossa mente se ilumina, nosso corpo melhora, pois levantamos a cabeça, respiramos melhor, nosso sangue circula com mais facilidade, irrigando melhor todos os órgãos do nosso corpo, fazendo com que nosso corpo funcione muito melhor. Ao passo que aquela pessoa amargurada se curva, se contrai, dificultando todo o processo físico. Da nossa postura, da nossa atitude diante da vida depende o nosso redor.
Mudar não é fácil, claro que não, mas se fosse facinho que graça teria? Mas é preciso que tenhamos consciência que podemos nos mudar e perseverar, persistir, por que se deixamos o desanimo tomar conta, torna-se mais difícil. E assim conseqüentemente as mudanças a nossa volta tendem a começar e se alastrar.
É necessário que nos desfaçamos das coisas velhas e inúteis para que as novas tomem o lugar. É preciso que nos livremos dos velhos costumes, das velhas atitudes, dos vícios, das maledicências para que as boas tomem lugar. Como se limpássemos os nossos armários nos desfazendo daquelas tranqueiras que não servem mais a nossa vida atual jogando fora. Abrindo espaço, limpando, arrumando nossa casa mental para que as novas ocupem o espaço. Usando matéria prima boa, de qualidade e fermento bom, que vai levedar essa massa, fazendo-a crescer, se multiplicar. Contagiando as pessoas a nossa volta contagiando o nosso ambiente familiar, profissional, envolvendo todas as pessoas que cruzam o nosso caminho e se alastrando, crescendo e assim como conseqüência tudo a nossa volta começa a se transformar, por que as pessoas reagem naturalmente aos bons atos.
Para termos mudanças na nossa vida precisamos começar a mudar o nosso interior, eliminando o fermento velho, substituindo por novo e deixar essa massa levedar e crescer.



*Fonte Viva 76 (leitura complementar.)












Um comentário: